Depois de 7 anos do aclamado “The Cardinal Factor” a banda de Prog Metal Hollowmind volta à cena com um EP matador. “Inside an Extended Play” está disponível nas plataformas digitais desde final de novembro.

O que vemos neste novo trabalho é uma banda mais madura, explorando o melhor das referências musicais que sempre trouxeram em seu som. A produção ficou a cargo de Val Martins (ex-Viper) e traz um som bem trabalhado, limpo e com excelente mixagem.

O número 7 na vida do Hollowmind

Parece que o número 7 é o amuleto da sorte da banda. O primeiro trabalho “Soundscape of Emotions” foi lançado em 2007, o já citado “The Cardinal Factor” viria sete anos depois, em 2014 e agora retornam com um EP em 2021. O múltiplo de sete parece fazer parte de algo místico em torno do grupo, mas esperamos novidades antes de 2028 pelo bem do Prog Metal brasileiro.

O que esperar do novo trabalho do Hollowmind?

Rob Gutierrez (Baixo e Vocal), Ale Silveira (Guitarra) e Felipe Gomes (Bateria) capricharam no álbum. As referências de Dream Theater e Fates Warning estão nas quatro faixas do EP, mas trazendo um frescor e identidade própria. A produção de Val Martins apoia as decisões do grupo e mostra uma evolução absurda frente ao álbum de 2014.

Veja os detalhes de cada faixa de “Inside an Extended Play”:

The Social Meteor

A música conta com duas faixas no EP, uma versão completa com mais de sete minutos (olha o número cabalístico aí novamente) e uma edição mais curta para tocar nas rádios. A música já começa com aquela intro clássica do prog, impossível não lembrar do Dream Theater dos velhos tempos.

A bateria de Felipe Gomes é precisa e segura, a mixagem da faixa é tão cristalina que você houve cada instrumento de forma independente. O vocal de Rob Gutierrez é animal e complexo e o trabalho de baixo é sensacional. Baita som!

The Divide

A segunda faixa do EP não perde a pegada de The Social Meteor, mais prog do que nunca, a música ganhou recentemente um lindo Lyric Video e mostra um som mais direto, com uma pegada de guitarra do Ale Silveira que faz os fãs do estilo se deliciarem.

State of Unfairs

Com uma intro mais heavy metal que as anteriores, mais uma vez a mixagem mostra a que veio, som limpo e muito bem gravado. Rob continua mandando bem no vocal e a banda apoia muito bem numa levada mais pesada e rápida do que o estilo prog normalmente entrega.

A banda nada de braçada no EP inteiro, mostrando todo virtuosismo nos riffs e no solo hard rock do Ale Silveira.

Hibernia

Chegou a hora da minha música preferida. Prog puro, a música é totalmente atmosférica, tipo de som que toda banda sonharia em ter no seu setlist para esbanjar sua técnica e virtuosismo. O solo de guitarra é poderoso, a linha de bateria a la Portnoy entusiasma e o gongo abre a música para um final épico e que deixa uma sensação de que ela poderia ter mais 10 minutos e ninguém reclamaria.

Faço um único pedido: Hollowmind, não espere mais sete anos pelo próximo trabalho. Estamos ávidos por um full lenght ainda em 2022, quebrando o tabu e abrindo uma nova era na carreira e no Prog Metal brasileiro 🤘.